sábado, 1 de junho de 2013

A blaster dúvida 2: como estar SEMPRE preparada?



Não sei como você se sente, mas eu, literalmente, TREMO quando tenho que arrumar uma sacola ou mala para sair de casa com a minha pequena!

Por que?

Bom, é muito simples, PORQUE É MUITA TRALHA, GENTE!

Aí você pensa: "ah, que nada, isso é moleza!" ou "Basta ser organizada!" e blá blá blá...

Eu estou te ouvindo e balançando a minha cabeça ao mesmo tempo, porque, vamos falar a verdade, a pessoa tem que ser praticamente uma Mary Poppins para acertar todas as vezes! (Não sabe quem é Mary Poppins? Pobrecito... o que você fez na sua infância?)

Não é exagero, minha gente!

Para arrumar a sacola ou a mala "perfeita" você depende de uma coisa (não, não é organização): desvendar a mente (e o humor) dessas criaturinhas imprevisíveis que, carinhosamente, chamamos de filhos!

Fácil, né?!

Só se for aí na sua casa, porque aqui, funciona mais ou menos assim: no dia-a-dia, eu faço uma lista (mental) de tudo o que vou precisar, começando pelo básico (fraldas, trocador, lenços umedecidos, pomada, copinho de água, lanchinho, roupa extra, blusa de frio, etc...).

Até aí tudo bem, a cabeça funciona no automático.

A segunda parte é que é tensa... A lista do "e se"("e se chover?" "e se fizer MUITO frio?" "e se ela sujar a roupa extra?" "e se o nariz escorrer?" "e se ela se entediar?" e por aí vai...).

Paranóia???

Não, meus caros, cada um dos itens da lista do "e se" tem uma histórinha por trás, daquelas que te deixam marcas profundas e te fazem querer se lembrar de estar melhor preparada da próxima vez.

Hoje eu vou contar só uma delas, para vocês entenderem a minha angústia.

Quando a Bia tinha mais ou menos uns três meses, começamos a ir, todos os domingos, a um restaurante de um casal super amigo, que fica bem perto de casa.

E como não podia deixar de ser, a "sacola" da Bia ia junto com a gente. E era uma "senhora" sacola!

Por volta do quinto domingo, eu, a "mamãe confiante", me questionei: "mas por que levar este "trambolho" hoje? Eu nunca uso nada do que está aqui!"

E foi neste momento que eu tomei uma decisão super, thunder, blaster equivocada: "vou levar só uma sacolinha! Com uma fralda, os lenços umedecidos, pomada, trocador e uma fraldinha de pano. É o suficiente!"
Detalhe: nestes cinco passeios eu sequer tinha precisado trocar a fralda dela, de forma que, de toda a sacola, eu só tinha usado uma fralda de pano.

Pois bem, vejam vocês o que me aconteceu: durante o almoço correu tudo bem, papo pra lá, papo pra cá, a Bia tranquilinha....

Lá pelas tantas, ela começa a chorar.

Daí, eu, pensando que era fome, fui tirá-la do bebê conforto.

Pra quê...

Mal eu tinha acomodado a minha mão nas costas dela, já senti um líquido estranho... e não era suor!

Sabe o que tinha acontecido?

Eu te dou uma dica, querido leitor: você está familiarizado com o termo "cocô tsunami"?

Não???

Então deixa eu te explicar: é quando o seu bebezinho faz um "número dois" tão, tão, tão poderoso que rompe a barreira da fralda, e depois segue, como uma onda, inundando tudo que tiver pelo caminho (roupa, pescoço, cabelo, bebê conforto, seu braço, sua roupa, seu sapato...)

E, aí, o que você faz?

O ideal seria levar o sapequinha num lava-rápido, daqueles com mangueiras super sônicas que purificam até o pensamento, mas, como não é possível, você tira o excesso da bagunça e depois dá um banho, certo?!

Tá, mas e quando você está fora de casa (como na minha história)?

O jeito é recorrer ao que você tem na sacola, correto?!

Aí é que mora o problema: vocês se lembram exatamente o que eu coloquei na minha "sacolinha de mãe desencanada?"

Desnecessário dizer, mas a Lei de Murphy reinou no meu dia! E não tive outra escolha a não ser ir embora com a Bia toda suja, porque, JUSTO NAQUELE DIA, eu não tinha levado a bendita roupa extra!

E o pior da situação foi ter que ouvir comentários do tipo: "mas você não carrega uma roupinha dentro da sacola?" ou "na sacola do fulaninho sempre tem, pelo menos, duas trocas!"

ÓDIIIIIIIIIIOOOOOOOOOOOOO!!!

É por essas e por outras que eu digo: se você, mãe ou pai de família, um belo dia, tiver a vontade de sair de casa "caminhando contra o vento, sem lenço e sem documento", TOME CUIDADO!

Olha que o vento pode te trazer uma surpresa nada agradável, se é que você está me entendendo...

E se você aí tem uma dica fantástica sobre "como sair de casa com uma sacola reduzida sem passar aperto", POR FAVOR, me conte o seu segredo!

Quero ser sua melhor amiga!

Beijosss!

Até a próxima!

2 comentários:

Mariana Belloni disse...

Oi amiga!
tava com saudades dos seus textos!!
acredita que o Rodrigo não conhece a Mary Poppins?!?!?!?!?!?!
também acho que ele não teve infância! hahahaha
pior que arrumar sacola de bebê para dar um passeio, é arrumar mala para viajar, né? aff!
bjs

Mariana Belloni disse...

Oi amiga!
tava com saudades dos seus textos!!
acredita que o Rodrigo não conhece a Mary Poppins?!?!?!?!?!?!
também acho que ele não teve infância! hahahaha
pior que arrumar sacola de bebê para dar um passeio, é arrumar a mala para viajar, né? aff!
bjs

A Autora

Faça Parte!

Os 10 mais lidos

Seguir por Email

Arquivo do blog

Visualizações de página